Top Menu

Por muito tempo a forma como os espaços publicitários foram negociados nunca mudaram, sempre havia necessidade de negociações entre anunciantes e publishers. Muitas vezes o anunciante investia muito dinheiro em canais que supostamente trariam grande visibilidade e consequentemente um bom retorno, mas no fim da campanha os resultados esperados não se concretizavam. Até que novas teorias, como a da “cauda longa” surgiram e o próprio consumidor começou a mudar seu comportamento em consequência do crescimento da internet e de suas novas funcionalidades. Assim, o modelo de como fazer e negociar publicidade online começou a mudar também, até que em 2013, aqui no Brasil, esse cenário ganhou um diferencial com a consolidação da compra e venda de mídia programática! Mas o que é mídia programática?

blog_admatic_760x428_homemNoControle

Como funciona a mídia programática?

Com uma oferta grande de sites, portais e blogs vendendo espaços, existe um trabalho muito grande de estudo para poder segmentar uma campanha. Os publisher podem passar essa informação, mas o profissional de mídia, responsável pelo planejamento da publicação, precisará definir os vários  canais que ele  pretende publicar e ainda fazer um acompanhamento diário para analisar a performance de cada campanha. Com o modelo de mídia programática, a negociação entre as partes e toda parte operacional se torna automática.

Desta forma, através de sistemas próprios para isso, o anunciante pode programar suas campanhas e fazer uma segmentação, eliminando a necessidade de negociação interpessoal e podendo mensurar seus resultados em tempo real. Com isso é possível investir melhor a verba para garantir um melhor retorno sobre investimento (ROI), fazendo com que o modelo tradicional de comprar milhões de visualizações e ficar na torcida para ter um bom rendimento, tenha seus dias contados. Diversos portais e Adnetworks já estão oferecendo o modelo de venda de mídia programática e cada vez mais os anunciantes estão percebendo as vantagens desse modelo. Além disso, uma das principais vantagens da midia programática é o tempo que a equipe do anunciante ganha para investir em planejamento e estratégia das campanhas, uma vez que gastarão menos tempo no operacional, como faziam no modelo tradicional.

Mas é vantajoso usar a mídia programática?

No Brasil o uso da mídia programática é relativamente recente, mas na europa e nos EUA, esse modelo já está consolidado, pois de acordo com dados do eMarketer, cerca de 45% da mídia display do mercado americano já é negociada desta forma. Mas qual a vantagem?! Acredito que podemos levantar alguns pontos que mostrem a vantagem desse modelo, como o fato do anunciante poder decidir o quanto quer investir nas impressões ou cliques de sua campanha, no fato de poder segmentar para atingir seu target e assim não perder impressões desnecessárias com audiência sem sinergia com seu anúncio, poder escolher a entrega do anúncio de acordo com critérios como idade, gênero, intenção de compra, perfil de navegação, entre outros.  Isso são  apenas alguns exemplos vantajosos para quem adere ao modelo programático.

Como usar a mídia programática?

A mídia programática obviamente é uma forma programada para você comprar e vender mídia. A grande diferença é que, em vez de escolher o canal que irá veicular, é possível escolher o perfil do consumidor e determinar quanto pagar por ele. A maioria dos sistemas tem um modelo de leilão para a veiculação, ou seja, depois que você determina que tipo de público quer atingir, precisa definir o quanto quer pagar pelo anúncio (seja por CPM ou CPC por exemplo), o anunciante que pagar mais terá  maior visibilidade em determinados canais.

Para negociar mídia Programática

Para negociar compra e venda de mídia programática é importante conhecer alguns modelos de sistemas que será necessário usar para realizar a programação. São eles:

Ad Exchange: Funcionam de forma muito parecida como uma bolsa de valores, só que na verdade são redes de leilão de inventário. Numa Ad Exchange é possível comprar audiência em tempo real e definindo o perfil do público-alvo.

Ad Network: São redes que agregam conteúdo, integradas com alguma Ad Exchanges. Podem agrupar os canais por tipo de conteúdo ou comercializar canais  de um nicho específico.

DSP (demand-side plataform): São  plataformas que auxiliam o comprador. Quando o anunciante diz qual o target que busca, a plataforma, então, se conecta com a Ad Exchange e mostra onde está esse target.

ATD (agency trading desks): O anunciante pode efetuar a compra diretamente, via agência ou por meio de trading desks, que são mesas de operação.

SSP (sell-side plataform): Essas são destinadas aos veículos, seria correspondente da DSP. Neste caso, a plataforma olha para todos os inventários em tempo real, integra os vários mercados e mostra qual é o mais interessante naquele momento.

 

ASSISTA O VÍDEO E ENTENDA
Nesse vídeo da IAB (Interactive Advertising Bureau‎) é possível visualizar como é o funcionamento da compra e venda de mídia de forma programática.

 


VOCÊ ESTÁ PRONTO PRA FICAR NO CONTROLE?
Conheça ADMATIC, um software de gestão para campanhas de marketing de performance.
Crie e gerencie todos os seus XMLs em um só lugar ou analise e otimize suas campanhas de search, retargeting e afiliados. Faça tudo em menos tempo e consiga mais resultados!

SAIBA MAIS | SOLICITE CONTATO DOS NOSSOS CONSULTORES

Close