Top Menu

Os analistas de marketing precisam estar atentos às transformações e tendências que norteiam o mercado. No e-commerce isso é ainda mais delicado, já que deixar de lado algo que tem se tornando comum no setor, pode representar, de forma direta, a perda de clientes. Por exemplo, o mais novo queridinho dos profissionais desse setor é o push. Você já ouviu falar dele?

Na tradução literal do inglês para o português, push significa “empurrar”. Em tecnologia, o termo significa notificar o usuário sobre novidades ou atualizações. Você é constantemente notificado por pushs em seu smartphone. Sabe as notificações de aplicativos de jogos, que dizem que sua energia foi restabelecida ou que dizem que você tem acesso ao bônus do dia? Pois bem, elas, como também as notificações de seus outros aplicativos, como o Facebook ou o Twitter, são o push em sua essência. Só que agora esse recurso também passou a ser utilizado em sites, principalmente portais de notícias e lojas virtuais.

Como Funciona o push?

Assim que o usuário acessa seu site, ele responde uma pergunta: “deseja receber notificações desse site?”. Se disser sim, ele passa a receber notificações. Essas notificações serão configuradas pelo administrador do site em um aplicativo e podem se valer de vários filtros. Por exemplo, o cliente selecionou um smartphone e abandonou o carrinho, se ele tiver se cadastrado para receber o push, pode ser notificado quando esse produto estiver com valor mais baixo. O custo que o e-commerce vai ter com essa notificação? Nenhum. O cliente vai receber essas notificações enquanto estiver navegando na internet. Ou seja, o resultado da ação poderá ser medido de forma imediata.

O que minha loja virtual ganha com o push?

Para sua loja virtual isso pode ser um canal importantíssimo, principalmente se for trabalhado com ações de performance. Você pode utilizar o push para recuperar clientes que abandonaram o carrinho de compra, que estão inativos a determinado período de tempo, que ainda não realizaram compras ou qualquer outro filtro. O push pode ser o complemento de suas campanhas de retargeting e e-mail marketing, por exemplo.

Como adotar push em minha loja virtual ?

O procedimento exige um pouco de atenção, mas não é dos mais difíceis. Você precisará escolher um aplicativo específico para isso (existem pagos e gratuitos). Depois disso, será preciso configurar seu Analytics com uma chave gerada diretamente pelo Google. Inclusive existe um artigo, publicado no E-commerce Brasil que aborda esse assunto.  Depois disso, claro, será preciso acompanhar o desempenho desse canal e entender como o consumidor tem aceitado essa ideia.

Cuidado para não incomodar o cliente

Assim como outros canais de marketing, esse precisa ser utilizado de forma estratégica e em um momento apropriado. Assim como o e-mail, o push é opt-in e opt-out, ou seja, o cliente autoriza o envio e pode cancelá-lo no momento em que não quiser mais receber a notificação. Para evitar que ele se descadastre é preciso sempre usar o push de forma moderada. A quantidade por dia? Isso vai depender do perfil de cada cliente e dos seus objetivos, por isso, vale seguir uma regra baseada em e-mail marketing e, com o tempo, identificar um padrão que possa ser adotado para push.
O ideal é que suas campanhas de push sejam desenvolvidas em conjunto com a de outros canais de performance. Isso pode ajudar (e muito) a trazer clientes inativos, converter carrinhos abanados ou atingir qualquer outro objetivo traçado para a campanha.

Publicado originalmente no E-commerce Brasil


Entre em contato







Close