Top Menu

Com o decorrer dos anos, as grandes organizações entenderam que determinados processos precisam ser tratados de forma estratégica, a fim de gerar melhores resultados – sobretudo novos clientes e conversões. Foi assim com a utilização do telefone, fax, internet, e-mail, redes sociais e outros canais que colaboram para reduzir o tempo investido em  comunicação com o cliente, por exemplo. Isso também é algo que ocorreu com o marketing.

Você já parou para pensar em como as empresas faziam anúncios antigamente?

jornal-o-globo

 

Um modelo muito adotado era o anúncio no jornal local ou na lista telefônica. Claro que também eram feitos anúncios em grandes veículos como jornais de grande circulação, rádio e TV, mas, infelizmente, apenas grandes empresas conseguiam fazer esse tipo de divulgação.

Hoje, embora as mídias tradicionais ainda tenham sua força, a internet passou a ser um dos canais mais democráticos para anúnciar. Facebook e Google, com seus processos intuitivos e simples, abrem a possibilidade de grande alcance – e por um preço acessível – a diferentes tamanhos de empresas.

Vivemos uma nova era em que não basta apenas expor a sua marca. É preciso alcançar o público certo, no momento certo, no canal certo e vender – vender muito.  O cliente está cada vez mais exigente e quer ser tratado como único. O que ele quer é a melhor experiência possível de compra, além de se sentir acolhido em caso de trocas ou problemas com o pedido.

Dentro do público-alvo de cada marca há grupos – ou clusters – que possuem padrões e comportamento bem específicos. É possível identificar, por exemplo, pessoas com tendência a comprar apenas em promoções, que pesquisam muito antes de realizar uma compra, que sempre abandonam o carrinho ou ainda aquelas que compram apenas produtos anunciados em comerciais de TV.

Como analista, você vai precisar identificar cada um desses clusters e trabalhar a comunicação de forma segmentada.  Mas como oferecer uma experiência personalizada a cada cliente – de forma escalável – sem que você tenha que agir manualmente na escolha do público?

Você já ouviu falar em automação de marketing? Não? Então vamos falar de coisa boa…

O que é automação de marketing?

Automação nada mais é do que fazer com que suas ações de marketing sejam planejadas de forma inteligente, baseadas sempre no comportamento e histórico do cliente. A automação traz à tona uma necessidade – e tendência do marketing – que é a integração com tecnologia.

post_blog_admatic_junho_2_como_planejar_automacao_de_mkt

Um estudo da Gartner apontou, em 2014, que até o fim de 2016, 67% dos departamentos de marketing iriam aumentar o investimento em tecnologia, e você deve concordar que a linha entre TI e marketing está cada vez mais ténue – e olhe, não é tarde para você investir em automação. A própria Gartner apontou que, dentre as tendências para 2016, está a aprendizagem avançada de máquina – leia-se inteligência artificial – que é quando softwares passam a conseguir interpretar padrões, mudando a forma como eles são apresentados ao usuário.

A automação no marketing está fortemente ligada a softwares, integradores, CRM e BI. Isso quer dizer que quando você agenda posts no Facebook ou dá repostas automáticas (pré-agendadas no Twitter) não significa que sua loja virtual já investe em automação. Isso vai muito além.

É preciso monitorar e analisar o comportamento do mercado constantemente e também do cliente. Isso fará com que você consiga oferecer ações personalizadas, a fim de proporcionar experiências importantes para que o cliente tenha vontade de comprar o produto ou serviço.  A automação permite entregar o conteúdo que o cliente quer, de forma que ele seja impactado no momento certo, sempre levando em consideração o seu histórico – com base em cookies.

Por exemplo, sua campanha vai identificar o cliente que acessou sua loja virtual e buscou por mochilas e também pesquisou por sites de viagens – pacotes e dicas. Já imaginou como seria mais impactante oferecer um anúncio via retargeting ou uma ação de e-mail marketing que pergunte ao cliente “Vai viajar? Confira nossas promoções exclusivas”. Essa ação mais assertiva aumenta as chance de conversão.

Desafios da automação de marketing de performance

A automação apresenta alguns desafios, vamos usar como exemplo um estudo da Econsultancy sobre automação de campanhas de e-mail marketing. Produzido em 2014, ele indicou que dentre as empresas americanas, 83% viam vantagens na automatização, mas nem todas a implementam – apenas 46%. Abaixo listamos os motivos:

  • Tempo para implementação (45%)
  • Recursos (37%)
  • Integração de dados (35%)
  • Adoção de processos e regras (26%)
  • Falta de habilidades específicas (24%)
  • Onde focar (22%)
  • Falta de orçamento (18%)

Com o software de gestão de campanhas da Admatic é possível integrar os canais de performance utilizados e ter acesso a todas as informações em um único dashboard, que também vai facilitar a identificação de quais canais precisam ser trabalhados, já que existe a possibilidade de medir o ROI de cada canal – ou até mesmo de produtos específicos.

Se o software for integrado com um sistema de precificação existe ainda a possibilidade de alteração dos itens em tempo real. Ao analisarmos friamente, é possível notar que existem muito mais vantagens com automação de marketing do que desafios.

Viu como a automação de marketing pode ser útil a seu negócio?

Quer saber mais sobre como a Admatic pode te ajudar em automação e outras frentes do marketing de performance? Entre em contato e saiba como você pode controlar o seu tempo com nosso software de gestão de campanhas.

 

Close