Top Menu

10 dicas de marketing de performance parte 1

Resultado, resultado e mais resultado. O marketing de performance é pautado em números e métricas. Profissionais estão cada vez mais pressionados a apresentar o melhor ROI, mais acessos e mais conversões. E no final das contas, essa é a parte mais legal: quando vemos os resultados aparecerem.

Sabemos que, para quem está começando agora, não é nada fácil ter a visão estratégica necessária para criar uma campanha que atenda todas essas expectativas. Mas calma, isso pode ser desenvolvido.

Nosso time de especialistas em marketing de performance criou um roteiro com os 10 principais passos que devem ser seguidos para a “campanha dos sonhos”.

  • Planejamento

Planejar é o principal, afinal é o que fará com que todas as ações estejam integradas e de acordo com as estratégias definidas pela empresa – ou cliente.

O planejamento, especifico de performance, deve contemplar alguns aspectos básicos:

  • Concorrentes que já investem em performance:

    aproveite para analisar como eles se posicionam em buscadores, a interação com os seguidores, linguagem adotada, estratégia de funil de vendas e que tipo de ações fazem – e-mail marketing, retargeting, links patrocinados e outros. É sempre bom evitar o que eles têm feito de errado e potencializar os aspectos positivos.

  • Objetivo da marca:

    quais resultados você deseja alcançar com as ações de performance? Mais leads, mais conversão, mais interação com a marca? Isso precisa ser definido para nortear as próximas etapas do projeto.

  • Período:

    mesmo que possa ser alterada no meio do caminho, é necessário saber qual o período em que a campanha vai ser realizada – uma semana, um mês, um ano. Enfim, essas informações precisam fazer parte do planejamento.

  • Canais:

    quais podem ser utilizados e como funcionam – formas de anúncio, faturamento, público-alvo. Isso será válido para a sequência do projeto.

  • Público-alvo:

    para quem seu produto se destina? Isso precisa ser respondido no planejamento.  Idade de seu público-alvo, região, sexo, poder aquisitivo e o motivo que o leva a comprar com você, além de outras informações que ajudem a definir para quem você, efetivamente, vende.

  • Budget:

    quanto você poderá investir em sua campanha? Isso será importante para dosar as ações e o investimento feito em cada uma delas. Cada estratégia gera um custo diferente. Por exemplo, CPA será maior que o CPM, mas cada um desses KPIs se adapta melhor a um objetivo.

2) Conheça seu público alvo

Conheça seu público alvo

Sabendo onde se quer chegar, as mídias existentes e o poder de investimento será preciso definir com quem quer se comunicar. Lembre-se que é preciso falar diretamente com o consumidor e para isso é preciso definir personas.

Nesse caso, ao invés de falar com o target, você vai falar com o João Oliveira, analista financeiro, 25 anos, morador de São Paulo – SP e que assiste futebol.

Fica mais fácil fazer uma campanha com foco em alguém e não em um grupo. Essa definição de personas auxilia a interpretar se a mensagem está clara e vai chegar até quem você quer.

Vale também definir diferentes personas, homens e mulheres, jovens e adultos que sejam de seu interesse.

3) Definir métricas – KPIs

Definir meta

O que será analisado na campanha? No planejamento definimos nosso objetivo e as métricas devem seguir essa linha. Por exemplo, uma determinada loja virtual está investindo para aumentar o número de conversões.

Ele precisa monitorar por onde os usuários chegam ao site, quais páginas atraem mais visitantes, tempo médio na página, novos visitantes, visitantes que retornam, abandono de carrinho e ir acompanhando esses dados, quem sabe, semanalmente. Isso irá permitir que seja identificado o comportamento do cliente, além de realizar testes para melhoria de indicadores em queda ou que não estão atingindo o resultado esperado.

Vamos pensar em outro caso, uma empresa que oferece um software de gestão de finanças pessoais. Ela cobra uma mensalidade, mas o primeiro mês é free, para teste. Ela pode monitorar o número de downloads, quantos clientes convertem após o período de teste, qual canal gera mais downloads, de qual canal existe mais conversão após os 30 dias iniciais.

As métricas ajudam a entender o desempenho como um todo. Elas podem ser inseridas em planilhas de Excel ou ainda softwares específicos de monitoramento, que centralizam essas informações.

4) Envolvimento de toda a empresa

Para suas campanhas gerarem o resultado esperado é preciso que toda a empresa esteja engajada e preparada para atender as demandas. Por exemplo, você traz o cliente para o site e devido a um potencial aumento de tráfego o site sai do ar. Ou ainda, o time de logística não está preparado para um aumento de pedidos.  
Toda a empresa precisa estar alinhada à performance. Muitas vezes o impacto negativo da ação tem mais a ver com outras áreas do que com o marketing em si. Por isso é importante que todos caminhem juntos.

5) Orientação para resultados

Orientação para resultados

Sempre trabalhe com foco em resultados. Mesmo branding, que em outros momentos já foi tratado como “investimento perdido” hoje já pode ser medido em números reais. Sem entregar resultados, as ações de performance não se justificam.

Felizmente você pode ter acesso a todas as informações necessárias, como fazer adequações das ações sempre que elas não estiverem com o desempenho esperado.

Essas foram as 5 primeiras dicas para melhorar seu marketing de performance. No nosso próximo artigo vamos apresentar as outras 5. Até lá!

Close